Como viajar para mais de 80 países

by Labor 0 Comments

Opa! E no texto de hoje eu quero tratar de um tema que muita gente me pergunta, que é como eu consigo viajar tanto. Mais precisamente, como eu consegui viajar para mais de 80 países.

Caso você queira saber, caso você tenha interesse em viagens eu recomendo que você leia esse meu texto até o final.

Para explicar como eu consegui viajar tanto e mostrar que não é apenas um fator, não é apenas tempo, não é apenas dinheiro, não é apenas planejamento, enfim, existem uma série de fatores.

Como economizar para viajar mais

Existem vários locais onde você pode economizar na sua viagem. Pode ser procurando promoções de passagens aéreas, pode ser procurando hotéis baratos ou pode ser de outras formas.

Conheça abaixo os 3 melhores sites para economizar no planejamento da sua próxima viagem:

Passos para viajar mais

Para mostrar como eu consegui viajar por mais de 80 países (inclusive, exatamente agora eu estou escrevendo esse texto na Costa Rica, meu país no 84), eu vou dividir esse artigo em 5 passos.

Na verdade vão ser em 5 Ps. Cada P vai explicar uma etapa. Então vamos dar uma olhada a partir de agora nos 5 passos, nos 5 Ps que você precisa seguir ou que, pelo menos, eu segui para conseguir viajar por mais de 80 países.

O primeiro P é paixão

Desde que eu fiz a minha primeira viagem internacional lá em 2007 ainda, quando eu tinha 24 anos, eu simplesmente me apaixonei pela ideia de você conhecer uma cultura nova, você conhecer um lugar novo, você conhecer uma culinária diferente, você conhecer uma língua diferente.

Na minha primeira viagem internacional, lá em 2007, eu fui para Buenos Aires, para a Argentina, para muita gente é o primeiro destino. Principalmente para o pessoal que mora no sul, muitas vezes o primeiro destino que conhece é Montevidéu, Buenos Aires ou Estados Unidos.

No meu caso foi Buenos Aires e desde então eu me apaixonei completamente por viagens, por viajar, por fazer viagens para fora do país para conhecer outras culturas. Então, é muito importante que você tenha essa paixão por viagens.

Porque eu conheço pessoas que têm condiçõe0s financeiras pra fazer, mas simplesmente não acham tão legal viajar e simplesmente não viajam.

E poderiam estar viajando bastante, teriam disponibilidade de tempo, mas não viajam. Acho que um dos passos mais importantes é você ser apaixonado por isso, você ser apaixonado por viagens. Esse é o primeiro dos Ps.

Parceria

Chegamos ao segundo P que é parceria. No final de 2009 eu comecei a namorar com a Raquel, que é a minha esposa. E acho que dois meses depois da gente ter começado a namorar, apenas dois meses, a gente já marcou a nossa primeira viagem internacional juntos.

Nessa viagem eu fui novamente para a Argentina, porque ela não conhecia, e fomos também para o Chile. E desde então a Raquel é a minha parceira de viagens.

Na verdade, talvez ela seja até mais apaixonada por viagens do que eu. Sem dúvida, se eu não tivesse uma parceira
ou um parceiro que gostasse tanto de viagens, dificilmente eu teria viajado tanto quanto eu viajei.

Talvez seja o seu caso, você esteja dentro de uma relação que você ama viajar, e o seu cônjuge, seu namorado, sua namorada não curtem tanto. E por conta disso você termina viajando muito menos.

Porque enquanto você está priorizando a sua grana para viajar, a outra pessoa está priorizando para, sei lá, trocar de carro, ou gasta tudo o que ganha. Enfim, tem prioridades diferentes.

Então é muito importante que você encontre essa parceria ideal. É muito importante que você tenha no seu parceiro alguém que também curta viajar muito. Só assim você vai conseguir viajar tanto.

Obviamente que vão existir outros fatores, mas é muito importante que você seja apaixonado por viagens e que você tenha uma parceria que também curta fazer essas viagens tanto quanto você.

Prioridades

E a gente chega ao terceiro P que é prioridade. Isso também é essencial. Para você conseguir viajar tanto você precisa priorizar isso. Então, muitas vezes você vai ter que balancear aquilo que a gente chama de custo de oportunidade.

O que é que você precisa abrir mão para ter as suas viagens? Durante muito tempo eu abri mão de gastar meu dinheiro com muitas coisas.

Abri mão de trocar meu carro para poder estar viajando, abri mão de comprar um apartamento maior para poder estar viajando, eu abri mão de sair muito mais ou de comprar coisas que eu achava legais para poder estar viajando.

Eu abri mão, inclusive, até de ter filhos. Eu podia ter tido filho muito mais jovem, mas eu queria viajar. Eu sabia que se eu tivesse um filho, durante um tempo eu ia ter que ficar sem viajar. Então, a questão de você viajar não é apenas também você só ser apaixonado, você ter uma parceira, você ter grana.

Você também precisa priorizar isso e obviamente lidar muito bem com as coisas com as quais você está abrindo mão. É o que eu estava tentando explicar: não basta você ter um parceiro que curta viajar também, ele tem que estar alinhado com as tuas expectativas.

Porque se para ele é muito mais doloroso abrir mão de certas coisas para poder continuar viajando, talvez isso não  seja legal. É melhor balancear, pesar os prós e os contras.

Porque senão isso vai terminar estourando em algum momento. É importante que você e o seu parceiro (ou caso você tope viajar sozinho não tem problema nenhum, é muito legal e tem muita gente que faz isso também) priorizem a viagem.

Muita gente relata, fala pra mim que está viajando pra caramba e fala: “Não, eu vendi o meu carro e agora só ando de Uber, não gasto quase nada, quase não saio para comer, só saio com os meus amigos e faço programas mais baratos. Porque o que eu curto mesmo é viajar, então não quero saber de comprar apartamento agora, não quero saber de trocar de carro, eu quero saber de viajar.”

Então é isso, a viagem também precisa ser uma prioridade para você.

Planejamento

Chegamos ao quarto P que é planejamento. O planejamento é essencial, não basta você priorizar, você precisa se planejar para viajar. Ou, no meu caso, o planejamento foi ainda mais extremo, porque eu me planejei para ter um estilo de vida totalmente voltado para a liberdade, para eu ter liberdade de escolha.

Para viajar por mais de 80 países não basta ter planejamento, não basta ter prioridade, não basta ter paixão, não basta ter parceria, não basta ter grana, não basta ter tempo.

Você precisa também ter todo esse planejamento e ter toda essa liberdade de escolha para você poder focar em viajar mais, em passar mais tempo viajando, em conseguir passar mais do que aqueles 30 dias que as férias comumente dá para você.

Então eu me planejei primeiro para em 2013 largar o meu emprego, desde que eu conheci a Raquel, desde 2009 até 2013 foi um planejamento para focar no meu negócio, para tocar o meu negócio em paralelo, fazer com que ele desse
certo para eu poder largar o meu emprego.

Eu largando o meu emprego, teria muito mais liberdade. Isso não queria dizer que eu ia trabalhar menos, mas que eu ia ter mais liberdade. Então, eu poderia trabalhar em qualquer lugar do mundo. Essa foi a primeira decisão.

Em novembro de 2013 eu consegui largar o meu emprego, um cargo público que eu tinha, o meu concurso, e desde então eu passei a trabalhar por conta própria, única e exclusivamente tocando os meus projetos de educação financeira. Esse foi o primeiro planejamento.

E aí entrou um segundo planejamento, foi de novembro de 2013 até novembro de 2014 eu tinha que fazer valer aquele meu tempo extra para poder ter resultados muitos maiores no meu negócio.

Porque de nada adiantaria eu largar o meu emprego e continuar tendo os mesmos resultados. Eu tinha que utilizar aquele meu tempo livre e se eu utilizasse ele focado ele teria que se reverter para mim em resultados financeiros.

Durante doze meses, de novembro de 2013 a novembro de 2014, eu foquei 100% no meu negócio. Eu fiz um planejamento para utilizar aquele tempo livre, ter resultados muito maiores e, aí sim, baseado nos meus projetos que
estavam totalmente organizados, com resultados financeiros muito melhores, aí sim eu poderia utilizar aquela liberdade de tempo, aquela liberdade até de mais dinheiro, liberdade de escolha, para viajar muito mais.

Tanto é que foi de novembro de 2014, que foi quando terminou esses doze meses, até maio de 2015, eu passei 6 meses viajando ininterruptamente.

Eu fui para a Europa, fui para o sudeste asiático, passei um tempo morando na Tailândia, conheci vários países do sudeste asiático. Então eu me planejei muito para isso.

E você precisa se planejar se você quiser viajar. Por mais que seja uma viagem menor, uma viagem menor, se for para passar pouco tempo, muito tempo, vai depender do que você quer de fato.

Mas, independente do que você queira, você vai precisar se planejar, colocar em ação aquele plano, ter os resultados e aí sim, como consequência, você vai aproveitar os resultados que você obtiver.

Patrimônio

E chegamos obviamente ao quinto P que é patrimônio. De nada adiantaria eu ter feito tudo isso se eu não tivesse ao longo desse tempo acumulado patrimônio, feito o meu patrimônio crescer, aumentado substancialmente minha renda, controlado os meus gastos, investido o meu dinheiro.

Porque é isso que me dá segurança, é isso que me dá tranquilidade para continuar viajando, para poder tocar os meus negócios independente de onde eu estiver. Eu precisava ter esse foco no meu patrimônio.

Na verdade, desde que eu comecei a minha vida financeira, quando eu recebi o meu primeiro salário, eu já tinha intrinsecamente um pouco que eu aprendi com meus pais, algumas habilidades para poder poupar dinheiro.

Ao longo da minha vida eu fui primeiro reforçando essas habilidades de poupar dinheiro, depois eu foquei em aprender a investir. Eu aprendi a investir em renda fixa, em renda variável. Me considero uma pessoa de fato especialista nessas áreas.

E só depois, e talvez até tenha sido um erro de inversão de valores, é que eu foquei no meu aumento de renda. Eu sabia poupar, sabia investir e só depois eu aprendi a como aumentar a minha renda.

E quando eu aprendi a aumentar a minha renda substancialmente através dos meus negócios…que fique bem claro, a imensa parte da renda que eu tenho não vem dos meus investimentos, da minha habilidade de poupar. Ela vem dos meus negócios.

Então, o teu principal foco tem que ser no teu trabalho, qualquer que seja ele. Se você não está satisfeito com seu trabalho, com a sua renda, se programe para mudar, se programe para tocar um novo projeto, para trocar de emprego, para poder fazer um concurso, o que quer que seja.

Algo que vai te colocar em direção da renda que você tanto deseja e que você merece (você tem que fazer por onde, obviamente). E foi isso que eu fiz.

Eu priorizei meu trabalho durante bastante tempo, consegui fazer com que isso aumentasse a minha renda, tivesse um patrimônio que me deixa totalmente confortável, que me dá total liberdade financeira.

É claro, que para viajar tanto, por tanto tempo, para tantos lugares, é óbvio que você precisa ter dinheiro para isso. Não é uma questão de: “Ahh, não, eu fico só em albergue, viajando baratinho, andando de ônibus para cá e para lá, pedindo carona.” Não, não é assim.

Nunca foram assim as minhas viagens. Quando eu não tinha condições financeiras de fazer tantas, eu fazia viagens mais curtas, ficava em lugares mais baratos. E à medida em que a minha situação financeira foi melhorando eu fui fazendo coisas melhores.

Ainda hoje eu não sou de ostentar, de ficar em mega hotéis nem nada, porque eu não priorizo tanto a hospedagem em si. Eu gosto da experiência, eu gosto da viagem, eu gosto de comer em bons lugares. Isso vai depender da prioridade de cada um.

Mas é claro que eu tive que focar no meu aumento de renda e você vai precisar. Se você quiser viajar muito, você vai precisar ter muito dinheiro. Viajar não é barato.

Obviamente que existem diferenças de valores, tem pessoas que conseguem viajar com um valor, tem pessoas que conseguem viajar com outro. Umas ficam em albergue e outras ficam em hotéis 5 estrelas.

E, obviamente, isso vai depender do que é prioridade para você, ficar em um baita de um hotel ou conhecer muito mais, viajar muito mais, passar muito mais tempo viajando.

Então você precisa entender claramente qual é a tua paixão. Viajar é realmente uma paixão para você? Porque às vezes você fica vendo aquelas fotos daquelas pessoas viajando, ou eu mesmo viajando, e pensa “eu queria ter essa vida”.

Será que você queria? Você realmente é apaixonado por isso? Você tem alguém que toparia fazer isso com você? Você prioriza de fato as viagens, ou você adora ficar vendo as pessoas viajando, mas troca de carro todo ano, está pensando em trocar o seu apartamento, você sai toda semana, você gasta dinheiro com um monte de besteiras,
compra roupa pra caramba?

Será que viagem é realmente uma prioridade para você? E se for, será que você faz um planejamento? Desde agora, você já tem os planejamentos para as suas viagens dos próximos 12 meses? Ou pelos próximos 5 anos, como eu cheguei a fazer em 2014?

Lá em 2014, no começo do ano eu sentei e junto com a Raquel, junto com a minha esposa, a gente fez todo o planejamento do que a gente queria fazer pelos próximos 5 anos e a gente seguiu ele praticamente à risca. Será que você planeja dessa forma?

E o mais importante: você está cuidando do seu patrimônio? Você está cuidando do seu aumento de renda? Mais do que o seu aumento de renda, porque independente de quanto você ganha, você gasta tudo o que ganha? Ou você tem uma habilidade de poupar também?

Você consegue poupar boa parte do que você ganha para poder focar nesses objetivos? Você investe essa diferença com qualidade?

Essas são perguntas que você precisa responder se você quiser, de fato, também viajar tanto, fazer viagens longas, independente de valores, mas viagens que você consiga passar muito mais tempo, que você consiga visitar muito mais países.

Eu adotei… a viagem faz parte do meu estilo de vida. Essa liberdade de escolha, essa liberdade de fato, liberdade de estilo de vida.

Espero que esse artigo tenha sido capaz de demonstrar que você também pode ter uma qualidade de vida melhor e viajar mais!

Leave a reply

Your email address will not be published.